Cobertura | Olhar de Cinema 2017 – Dia #1

Filme 01 – A Família:

Dirigido por Gustavo Rondón Córdoba, roteiro de Gustavo Rondón Córdoba. Elenco: Giovanni GarcíaReggie Reyes.

É simbólico que o tema do filme escolhido para a abertura deste 6º Olhar de Cinema seja tão atual: a desigualdade social vivida em um país latino e as consequências desta na vida daqueles que nascem e crescem num ambiente hostil, resultado da pobreza e falta de investimento adequados em saúde, educação e até mesmo moradia.

Habilidoso em estabelecer um arco que explora não apenas estas questões, mas o relacionamento entre o garoto Pedro e seu pai Andrés – já que estes sempre foram distantes -, Córdoba consegue utilizar com total controle recursos narrativos e visuais para contar sua história.

Logo em seu primeiro ato somos apresentados ao ambiente do qual Pedro é resultado: um local onde crianças usam todo tipo de palavra de baixo calão e balas de revólver ou uma camisinha se tornam brinquedo. Dali nasceu o garoto por vezes violento – ao ponto de enfrentar fisicamente o próprio pai ou de defender a si próprio e ao amigo Johnny de um outro, armado -, mas ainda inocente o suficiente para, mesmo estando em fuga com o pai, acordar e informar este que “esqueceu o uniforme da escola”.

Juntamente com seu roteiro, a direção de arte trabalha para nos mostrar o contraste causado pela desigualdade social já que, apesar de vermos na maior parte do tempo os subúrbios e favelas caraquenhos, sejamos também apresentados à elite do local, já que Andrés e Pedro trabalham, em determinado momento, numa festa da elite venezuelana. Neste sentido, é também emblemático que pai e filho durmam em dado momento sobre um colchão ainda embalado numa das obras em que trabalham e que o ambiente, mesmo ainda interminado, contraste tão fortemente com as paredes sujas e desgastadas do subúrbio com seu branco puro e limpo.

Estando no meio de uma crise política, a Venezuela acaba por ser o pano de fundo perfeito para um arco dramático que poderia, com certeza, estar ambientado em praticamente qualquer país latino e trata humana e profundamente dos temas aos quais se propõe.

Clique aqui para conferir a cobertura completa do 6º Olhar de Cinema

Crítica de Cinema desde 2017, formada em Cinema Digital pelo Centro Europeu, fotógrafa e integrante do Coletivo Elviras de Críticas de Cinema.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*